Este artigo foi publicado há algum tempo atrás no Undergoogle, achei muito interessante e resolvi postar aqui também, enjoy!

Você está preparado para a Busca Universal? Ou ainda acha que só de otimização em sites se pode aparecer nos primeiros resultados do Google para sempre? Os resultados de busca no Google já não são mais os mesmos! Desde Maio de 2007 o buscador vem implantando e aprimorando a “Universal Search”, revolução no formato que os resultados das buscas são apresentados aos usuários.

O Triângulo Dourado está com os dias contados

Até pouco tempo, bastava que você tivesse um site bem otimizado para aparecer nas primeiras posições do Google e ter uma visitação ótima para as palavras-chave escolhidas. O Famoso Triângulo Dourado - que corresponde basicamente às 3 primeiras posições na página de resultados do Google - posição privilegiada, sinal de cliques e visitação elevada.

Se estar no famoso triângulo é complicado, aparecer á direita da tela, nos links patrocinados, pode ser uma ótima solução, mesmo sabendo que a quantidade de visualização não é tão expressiva e relevante quanto estar dentro do famoso triângulo. O problema é que nesta posição, estar entre os primeiros resultados é fundamental, já que após a terceira posição a quantidade de cliques é muito pequena.

A Busca Universal e a integração com Mídias Sociais

Hoje, os usuários do Google, inclusive os brasileiros, já contam com conteúdo diversificado nos resultados de sua busca. Já é possível encontrar mapas, fotos, filmes, blogs, notícias e até trechos de código. Os resultados vêm de várias fontes, principalmente de serviços do Google, como Youtube, Picasa, Google News, Maps entre outros.

Tomemos o caso de Hotéis. Hoje, se você buscar pela palavra Hotel, seguida de uma cidade, haverá muita chance que os primeiros resultados não exibam a página do Hotel melhor posicionado, mas sim um mapa do Google Maps, com nomes e endereços de vários hotéis daquela cidade. Quer dizer, os primeiros resultados serão dados aos hotéis cadastrados no Maps e que possuam conteúdo relevante no serviço, como Reviews, uso no My Maps e resultados na Web.

Este exemplo mostra que os resultados estão mudando, não se pode mais pensar em otimizar somente o site, mas sim, olhar para a origem dos resultados que são agregados à Busca Universal.

Sem dúvidas, quem mais ganha com a Busca Universal são os usuários, que recebem resultados de diversas fontes, muito mais relevantes ao conteúdo buscado. Porém, especialistas em SEO ficam de “cabelos em pé” já que o trabalho de otimização para um site pode ir por água abaixo devido aos conteúdos “mais relevantes” mostrados no topo da página.

Com a busca Universal, o usuário ganha conteúdo e acaba perdendo o foco no Triângulo Dourado buscando mais informações e até dando mais relevância para os links patrocinados e resultados da busca até então ignorados. Abaixo, uma imagem utilizada pelos palestrantes do Google sempre que falam sobre o potencial da Busca Universal. Note que a visualização do conteúdo se distribui pela página, inclusive aumentando consideravelmente a visualização de anúncios do Adwords.

Entre as dicas para investir na Busca Universal, estão:

  • Utilizar e otimizar ferramentas sociais para distribuir conteúdo;
  • Colocar imagens de campanhas no PicasaWeb e Flickr,
  • Hospedar vídeos institucionais ou comerciais no Youtube;
  • Distribuir Press Release, sempre com imagem, para sites que possam ser indexados no Google News;
  • Otimizar keywords em redes sociais;
  • Otimizar Keywords para os novos termos, utilizados para busca de previsão de tempo, filmes, músicas, conversão de moeda;
  • Investir em conteúdo de Blogs;
  • Sempre localizar e inserir o máximo de informações possíveis sobre a empresa no Google Maps e incentivar usuário a interagir com estes mapas.

É lógico que a Busca Universal ainda está engatinhando e aos poucos tomando força no Brasil, portanto, brincar com direito a erros e acertos pode ser lucrativo e preparar seu conteúdo para o novo modelo de busca, tão defendido pelo Google.

Embora a Busca esteja mudando, o velho conselho do Google continua sendo levado à risca e precisa ser lembrado todos os dias : “Produzir conteúdo relevante ainda é a melhor forma de ser bem indexado pelos buscadores“. O que precisa ser inovado é a forma de distribuir todo este conteúdo relevante.

Já tive a oportunidade de testar as novidades do Google Analytics. Entre elas estão: Segmentos avançados e relatórios personalizados. Realmente foi muito interessante testar estes novos recursos, que simplesmente pouparão meu tempo como Web Analytics, uma vez que é possível criar inúmeros relatórios personalizados, segmentar os dados e ainda comparar com datas anteriores.

As novidades estão disponíveis para alguns editores, inclusive na versão em português do Analytics. Após algumas horas de uso, já percebi a quantidade de informações que estes novos recursos conseguem agrupar e exibir de forma muito prática.

Segmentos avançados

O Playground dos Web Analytics começa pela possibilidade de Segmentar dados. Com ela é possível escolher, e exibir em todos os gráficos de estatísticas, dados escolhidos pelo usuário, como por exemplo visitas provenientes de palavras-chave ou de uma determinada URL, inclusive segmentada por um determinado parâmetro da URL. A interface é muito intuitiva, o usuário simplesmente arrasta os parâmetros desejados para as caixas disponíveis e pronto, sua segmentação está montada!

Após testar e salvar sua segmentação, é possível exibi-la nos gráficos e utilizar seus dados para comparar qualquer métrica do Analytics. Ainda há algumas segmentações pré definidas, que ajudam os analistas menos experientes na hora de visualizar dados importantes de forma prática. É possível escolher 2 ou mais segmentações e comparar todos os dados nos gráficos e estatísticas.

Relatórios Personalizados

Através dos Relatórios personalizados, você pode agrupar vários dados do Analytics em uma única janela. Montando colunas com os dados que mais lhe interessam e comparando os dados que mais são importantes. Com um relatório personalizado, você ainda pode interagir com os Segmentos Avançados e comparação de data do Analytics, gerando relatórios completos e que certamente dariam muito trabalho para serem gerados sem esta funcionalidade.

Utilizando os recursos, você pode, por exemplo, definir uma segmentação para exibir resultados de referências orgânicas do Google e juntar com o Relatório personalizado que exibe Páginas vistas, Rejeições, Tempo no Site, Visitas e Taxa de Conversão, tudo dimensionado por hora do Dia. O resultado é a imagem abaixo, com um relatório cheio de detalhes e informações, agora dispostas de uma forma muito prática.

Infelizmente não consegui visualizar informações do Adsense, mas assim que tiver a oportunidade, bem como conseguir entender melhor todas as facilidades que os novos recursos podem proporcionar, volto a postar aqui.

Caso você já tenha acesso às novidades, veja aqui quais combinações válidas de relatórios são possíveis e veja mais informações sobre os Segmentos Avançados aqui.

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial